Origem do Rooibos

Desde tempos imemoriais que na região de Cederberg, na África do Sul, as tribos Khoisan colhiam as folhas do arbusto Aspalathus linearis, que fermentavam e secavam, para preparar uma bebida medicinal. Do ponto de vista da botânica, o rooibos não é um chá, já que se fabrica a partir das folhas de uma planta que não tem nada a ver com a Camellia chazeira.

Com o quase desaparecimento destas tribos, a história do rooibos esteve em risco de se perder nas areias do tempo. No entanto, um botânico chamado Carl Humberg descobriu as folhas, e ressuscitou o interesse por esta bebida. Durante o seculo XVIII, os holandeses estabelecidos em África começaram a consumir rooibos, como alternativa ao chá preto que atingia nessa época preços exorbitantes. Para preparar a infusão, as famílias colhiam ramas do arbusto que secavam e usavam quase sem processar.

A difusão desta bebida pelo mundo é bastante recente, já que só se começou a plantar como cultivo comercial em 1930. O rooibos verde foi criado somente em 1995, pelo Agricultural Research Council da África do Sul. É um produto fabricado através de um processo elaborado, semelhante ao de produção do chá verde, e é por isso mais caro que a versão tradicional.

Quem pode beber?

O grande benefício deste chá é o facto de não ter quaisquer contraindicações. Podem beber-se quantidades infinitas de rooibos sem que cause qualquer problema. Isto deve-se ao facto da infusão não ter cafeína, nem taninos nem alcaloides de nenhum tipo.

Qual a dose ideal?

Um ensaio clinico realizado numa Universidade da África do Sul demonstrou que beber 6 chávenas de rooibos ao longo do dia era benéfico para a saúde, ao reduzir o stress oxidativo e baixar o risco de problemas cardíacos. No entanto, não existem evidências de que beber uma maior quantidade seja problemático. Pode beber a quantidade que desejar, sem restrições.

Como prepará-lo?

O rooibos aguenta tempos de infusão amplos e, na África do Sul, é frequente que uma mesma infusão, ainda com as folhas, seja reaquecida várias vezes e usada durante pelo menos durante dois dias.

O melhor rooibos é o que ferveu durante tanto tempo que atingiu uma coloração rosa escuro e um aroma intenso. No caso de usar chá em saquetas, deixe-as repousar e verá que o sabor da infusão melhora com o tempo.

Para preparar um Ice tea, é preciso fazer um chá mais forte usando, no mínimo, o dobro das folhas (duas colheradas). Esta variedade de chá, servido frio, é muito agradável com adição de mel, limão ou misturado com sumos de fruta.

Também se pode preparar com leite e ser usado como substituto do café com leite do pequeno-almoço.

Há um horário adequado para consumi-lo?

Para obter o máximo beneficio para a saúde, o Rooibos deve beber-se varias vezes ao dia, espaçando os consumos para que as concentrações de fitonutrientes no corpo sejam sempre elevadas.

Benefícios do Rooibos para a Saúde

Nos últimos anos as Universidades sul-africanas têm realizado numerosos estudos sobre os efeitos deste chá na saúde. Apesar da maioria dos dados disponíveis terem sido obtidos em animais de laboratório ou in vitro, indicam que o consumo desde chá pode ter importantes benefícios para a saúde humana.

  • Estudos em ratos indicam que o rooibos estimula o sistema imunológico. Ao ser uma bebida rica em compostos fenólicos com poder antioxidante, é possível que sejam estas as moléculas responsáveis por este efeito.
  • Ao não ter cafeina, o consumo de Rooibos quente é uma boa ferramenta para combater a ansiedade, a irritabilidade e as dores de cabeça.
  • Conhecido na África do Sul como “o milagre das mães”, esta infusão é um bom antiespasmódico, capaz de prevenir e diminuir as cólicas. Pode dar-se aos bebés misturada no leite.
  • A aplicação tópica é útil para acalmar as peles irritadas, com pruridos ou eczemas.
  • É uma maneira fácil de consumir minerais essenciais, já que esta infusão é rica em magnésio, cálcio, fluor (para uns dentes e ossos saudáveis), zinco (essencial para o sistema imunitário), potássio e ferro (que permite manter o sangue bem oxigenado).

Principais dicas sobre o Rooibos

  • Na África do Sul a infusão de rooibos usa-se também para marinar carnes, ou como substituto da água em guisados e sopas.
  • O rooibos verde foi inventado num esforço por conseguir uma variedade de chá mais rica em antioxidantes, já que muitos se perdem durante o processo de fabrico.
  • A qualidade deste chá, feito a partir de folhas e no fogão, é incomparável com o produto que se obtém ao usar folhas partidas dentro de pequenas saquetas. Procure um rooibos a sério. Vale a pena o esforço.
  • Pelo seu sabor naturalmente adocicado, esta bebida é um bom substituto para os refrescos comerciais.
  • A infusão para uso tópico faz-se com as mesmas quantidades de chá e água. Posteriormente pode juntar-se à água do banho ou aplicar com compressas numa zona específica.
  • As possibilidades de aromatizar este chá são infinitas. Alguns exemplos são as frutas tropicais, os leites vegetais (como o leite de amêndoas ou de soja), especiarias, ervas aromáticas ou até bebidas como o ginger ale.

O Chá Rooibos é indicado para:

  • Cólicas e espasmos (também nos bebés)
  • Dores de cabeça
  • Ansiedade
  • Eczemas, prurido, pele irritada
  • Falta de defesas (problemas sistema imunológico)