Origem do Chá Vermelho

O Pu-erh, ou chá vermelho, é a única variedade de chá fermentado, no sentido estrito da palavra. De um modo semelhante ao processo de produção de vinho, este chá passa por um período de fermentação depois da colheita e preparação das folhas. Esta pós-fermentação pode durar meses ou anos, durante os quais bactérias e fungos actuam sobre as folhas. É um processo que modifica drasticamente a composição química do chá, transformando o Pu-erh num produto único de sabor pouco convencional.

Quem pode beber?

O consumo de chá vermelho não apresenta, para a grande maioria das pessoas, contraindicações. Tal como todas as outras variedades, possíveis complicações derivam da presença de cafeína.

No entanto, este chá não tem níveis elevados deste composto. Deve-se salientar que o teor de cafeína aumenta à medida que o chá vai amadurecendo, e uma colheita recente é menos potente que uma que já tenha vários anos.

Quem tenha sensibilidade à cafeína, problemas de hipertensão ou ansiedade, deve beber chá com prudência, e começar por experimentar pequenas quantidades para avaliar os seus efeitos.

Qual a dose ideal?

Pode consumir-se sem restrições.

Como prepará-lo?

Para preparar uma chávena de chá (300 ml de água e 3 gramas de chá):

  • Primeira etapa:
    • Branquear as folhas para eliminar impurezas que possam existir devido à pós-fermentação:
    • Mergulhar as folhas na água a ferver durante 30 segundos.
    • Descartar a água.
  • Segunda etapa:
    • Voltar a aquecer a água.
    • Quando a água estiver a ferver, adicionar as folhas previamente branqueadas (nunca verter a água sobre o chá, porque prejudica o sabor do mesmo).
    • Deixar macerar durante 5-6 minutos

Este chá suporta tempos de infusão mais alargados, mas pode ficar um pouco amargo. Não precisa de grande atenção para dar bons resultados e, desde que seja mantido quente, pode permanecer no bule durante o dia inteiro.

Há um horário adequado para consumi-lo?

Esta variedade é perfeita para consumir a qualquer hora. Podem-se preparar quantidades generosas que, quando mantidas quentes, por exemplo com a ajuda de um termo, podem ser bebidas ao longo do dia.

As suas propriedades digestivas e um sabor que permite limpar o paladar de alimentos gordurosos fazem com que seja um chá muito usado para acompanhar as refeições.

Benefícios do chá vermelho para a Saúde

Na China, este tipo de chá era tradicionalmente consumido com refeições abundantes e de difícil digestão. A sabedoria popular estava certa, já que o Pu-erh é o único chá que contem estatinas, moléculas presente também em varias espécies de fungos, e que controlam de uma maneira eficaz os níveis de colesterol LDL (o mais perigoso para a saúde). Hoje em dia, a maioria dos medicamentos para baixar o colesterol contêm estatinas.

São várias as propriedades benéficas deste chá para a saúde:

  • Ter o colesterol controlado contribui a manter uma boa saúde cardiovascular. Embora não se conheça a fundo o mecanismo que permite a este chá ser tão eficaz neste campo, os especialistas pensam que, a presença de teobromina, uma molécula que existe também no chá preto, permite potenciar a acção das estatinas.
  • Estudos realizados em pacientes que sofreram enfartes de miocárdio revelam que, consumir duas taças de chá reduz em 44% a probabilidade de voltar a ter problemas cardíacos. Ao investigar as capacidades do chá vermelho, cientistas franceses chegaram à conclusão que esta bebida, quando consumida com regularidade, é capaz de baixar a concentração de lípidos no sangue.
  • Não há muitas investigações sobre os efeitos deste chá, mas há dados que indicam, que para além de promover a saúde do sistema cardiovascular, o chá vermelho ajuda a controlar a diabetes, promove o funcionamento do sistema imunitário e do sistema digestivo, sendo um bom complemento para quem tenha problemas de digestão, gases ou acidez.
  • A composição bioquímica do Pu-erh é eficaz na promoção do equilíbrio da fauna intestinal.
  • Apesar de não se conhecer a sua função exacta, na constituição do chá vermelho existe um polifenol único, chamado puerina. Esta molécula está presente em grandes quantidades neste tipo de chá, e tem propriedades antioxidantes. No entanto, até à data, temos pouca informação sobre as suas potencialidades.

Principais dicas sobre o chá vermelho.

  • Ao comprar, tenha cuidado com uma variedade chamada Shengcha pu-erh, vendida como chá vermelho quando nem sempre o é. Este chá consiste em folhas que se encontram num passo prévio de produção e ainda não passaram pelo processo de pós-fermentação. Na realidade tem características mais parecidas às do chá branco, e produz uma infusão mais forte e adstringente, com propriedades completamente diferentes.
  • Os chás vermelhos, quando são de boa qualidade, podem ser macerados varias vezes. Pouco a pouco, o sabor será cada vez mais adocicado e suave, e o teor em cafeína mais baixo. No entanto, vale a pena experimentar a variedades de cores e sabores que se conseguem ao fazer chá com as mesmas folhas. Os melhores lotes podem ser usados entre 8 a 10 vezes.
  • É frequente encontrar este chá à venda em forma de disco de folhas prensadas. Ao adquirir um chá deste tipo, informe-se sobre a sua qualidade. Já que esta apresentação facilita a adição de folhas de má qualidade.
  • Ao ser fabricado a partir de folhas de árvores antigas, o Pu-erh não é um chá com uma grande quantidade de cafeína. As concentrações presentes na maior parte das variedades são semelhantes às dos chás verdes, ou dos chás pretos mais fraquinhos e infinitamente inferiores às do café.

O Chá Vermelho ajuda nas seguintes doenças:

  • Colesterol
  • Problemas cardiovasculares (enfartes)
  • Problemas de circulação
  • Diabetes
  • Gases, acidez e problemas de digestão
  • Diarreia