Gostos não se discutem e no que diz respeito a beber chá cada qual tem as suas manias. Há quem beba o chá com açúcar, quem o prefira sem adoçantes, quem junte uma pequena quantidade de leite e quem esprema para dentro da xícara um pouco de sumo de limão. 

Esta última opção, muito comum nos países anglo-americanos, mas com poucos seguidores noutras latitudes, apresenta benefícios surpreendentes que talvez o farão repensar os seus gostos, e juntar-se aos ingleses neste hábito tão saudável.

Mais catequinas, menos radicais livres

Investigadores da Purdue University descobriram que a adição de suco de limão a uma xícara de chá preto ajudou o corpo a absorver até 13 vezes mais catequinas – os antioxidantes presentes no chá – do que o normal. Os estudos testaram os efeitos da absorção tanto em ratos como num modelo digestivo humano. 

Se não aprecia o sabor do limão no chá, não desanime. Os pesquisadores chegaram também à conclusão de que beber um copo de limonada pouco depois de consumir o chá proporciona os mesmos benefícios. 

Vitamina C para reforçar o sistema imunitário

Uns 30 mililitros de suco de limão – a quantidade que se obtém ao espremer meio limão de tamanho médio – contêm 12 miligramas de vitamina C. Solúvel em água, a vitamina C ajuda a combater os radicais livres.  Estas moléculas nocivas que podem danificar o seu ADN podem contribuir para o desenvolvimento de doenças como câncer e contribuem enormemente para o envelhecimento da pele.

Além de contribuir na cicatrização de feridas, e reforçar o sistema imunitário, a vitamina C ajuda a manter e reparar os seus dentes e ossos. Além disso, seu corpo requer este antioxidante para formar colagénio, uma proteína essencial para a estrutura da sua pele, vasos sanguíneos, cartilagem e tendões.

Uma maior quantidade de flavonoides

Se o chá por si só já contem uma importante concentração destas moléculas beneficiosas, os citrinos, como o limão, são uma das principais fontes alimentares de quercetina. Um potente flavonoide, esta molécula protege as células produtoras de insulina no pâncreas dos efeitos nocivos dos radicais livres. Além disso, a quercetina tem um efeito anti-inflamatório, pois controla a libertação de histaminas, as substâncias químicas que desencadeiam reações alérgicas. De acordo com a American Cancer Society, a quercetina pode inibir o crescimento das células cancerosas e pode ajudar a promover a apoptose, um tipo de morte celular. Estudos em animais mostraram que a quercetina pode exibir um efeito protetor contra certos tipos de câncer, especialmente o câncer de cólon.

Controlar a quantidade de açúcar no sangue

Quando o corpo não é capaz de produzir as quantidades adequadas de insulina, ou não a usa adequadamente, o açúcar acumula-se no sangue e pode dar origem a numerosas doenças, entre elas, a diabetes.

A hesperidina, uma molécula presente no suco de limão, modifica a função de enzimas que afetam os níveis de açúcar no sangue, de acordo com um estudo publicado no ano 2010 no Journal of Clinical Biochemistry and Nutrition.

Este efeito não só protege frente à diabetes como pode mesmo ajudar a manter os níveis adequados de açúcar no sangue a quem já padece esta doença.

Se bem mais humildes, a hesperidina também tem efeitos na redução do colesterol.

Combate ao cancro

Um estudo publicado no Journal of Nutrition em abril de 2005 revelou que os limões contêm uns compostos chamados limonóides com potencial para impedir o crescimento e o desenvolvimento de células cancerosas. Os limonóides não só desaceleram a taxa de crescimento das células cancerosas, como também aumentam a morte das mesmas. O estudo afirma ainda que estes agentes anticancerígenos são eficazes a neutralizar os radicais livres.