Há quem deite fora, quem use como fertilizante para as plantas, mas também há quem utilize as folhas de chá mais de uma vez.

Aprenda que tipos de chá aguentam uma segunda, ou até mesmo uma terceira infusão e quais são as vantagens de o fazer.

Saquetas de supermercado

Por muito prestigiada que seja a marca que compramos, nenhum chá de saqueta sobrevive a uma segunda infusão. Isto é porque, mesmo na sua primeira infusão, já estamos a lidar com um material de pouca qualidade. 

Cheias de folhas de chá tao quebradas que quase parecem pó, nas saquetas, a área total da superfície do produto que entra em contacto com a água é muito maior do que quando se usam folhas inteiras, extraindo-se todo o sabor e componentes benéficos numa primeira infusão. 

Pelo mesmo motivo, a superfície de chá exposta ao ar é também maior que no caso das folhas inteiras, garantindo que temos entre mãos um produto bastante oxidado. 

Se unimos a estes problemas o fato de estes chás virem normalmente armazenados em embalagens que não garantem o seu isolamento do ar, da luz e do calor, criámos a tormenta perfeita que garante um chá de baixíssima qualidade, com poucos componentes benéficos para a saúde. Um segundo round com um chá de saqueta é simplesmente impossível.

O poder das folhas inteiras

Quando você usa chá de folha, no entanto, a história é muito diferente, especialmente quando as folhas de chá estão inteiras. 

O tempo de infusão padrão para uma degustação inicial de qualquer tipo de chá é sempre definido entre 5 a 6 minutos. Quando alguns chás são realmente bons, podem ser guardados para uma segunda rodada. Na maioria das vezes estas segundas infusões, se bem que diferentes, são muito agradáveis. Quando há substâncias gustativas, há substâncias saudáveis. São a mesma coisa na maioria das vezes.

Uma segunda infusão é boa para a saúde?

Depende. 

De todas as moléculas benéficas presentes no chá, a cafeina é a mais facilmente extraível com água. Num estudo realizado pela Universidade de Auburn, 8 amostras de chá foram usadas em três ocasiões diferentes, e verificou-se que quase o 70 % da cafeina se extraia na primeira infusão. 

Com as catequinas e os flavonoides, os verdadeiros tesouros do chá, a conversa já é outra. Pela sua natureza química, estas moléculas são menos solúveis em água que a cafeina. Para além disso, de acordo com um estudo realizado conjuntamente por três universidades de Taiwan, a forma como estas moléculas se dissolvem na água é muito gradual.

Mesmo trabalhando com folhas de chá verde recém moídas, e colocadas em saquetas no momento da infusão, os pesquisadores descobriram que a EGCG, a catequina mais potente do chá, se dissolvia tão gradualmente que existiam 12 mg de EGCG por g de chá na primeira infusão, 10 mg na segunda e 9 mg na terceira. 

Assim que tudo depende do que busca. Se o que quer é um estimulante, reutilizar folhas de chá tem pouco sentido já que não obterá quase nenhuma cafeína. Mas se o seu objetivo é extrair todos os compostos benéficos presentes nas folhas, ao mesmo tempo que obtém diferentes matizes de sabor e até cores diferentes, experimente com segundas e inclusivamente terceiras infusões. Vai descobrir que o chá é um produto bem mais versátil do que pensava e que o mesmo chá pode dar resultados incomparáveis se for usado em mais de uma ocasião.